Dia da Erradicação do Trabalho Infantil mobiliza crianças e adolescentes de CM

trabalho infantil2

 

A prefeitura de Cândido Mota, através da Secretaria de Assistência Social e Centro de Referência Especializada de Assistência Social, o Creas, realizou parceria com as entidades sociais do município que trabalham o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos com crianças e adolescentes: Centro Vocacional Frei Paulino e Associação Metodista de Ação Social, o Amas.

Durante a semana de 11 a 15, com o tema ‘Aprenda a dizer não ao Trabalho Infantil’, os educadores sociais estão trabalhando com as crianças e adolescentes atendidos pelas entidades e realizam atividades pedagógicas sobre a temática.

Segundo a coordenadora do Creas Eliane Godoy, as entidades são ‘grandes parceiras não só na semana de mobilização, mas durante o ano todo trabalhando com alunos e suas famílias’. “A nossa equipe realizou na terça-feira, dia 12, o dia ‘D’, e visitou as entidades, conversando com os alunos e funcionários e entregando um livreto com o tema ‘Trabalho Infantil rouba a Infância’. Esse material aborda o tema de forma bem lúdica e pedagógica, através de histórias e desenhos que as crianças poderão levar para sua casa e ler junto com a família”, disse.

 

trabalho infantil1

 

“A erradicação do trabalho infantil requer um processo constante de conscientização. A melhor estratégia é investir na formação dos futuros cidadãos, tornando-os conscientes e comprometidos com uma sociedade sem exploração de crianças e adolescentes. Nessa missão, as escolas e as entidades sociais é o caminho mais adequado”, destacou a assistente social Márcia Sabino.

O trabalho infantil é toda forma de trabalho realizada por crianças e adolescentes abaixo da idade mínima permitida, de acordo com legislação de cada país. Em geral, é proibido especificamente, nas formas mais nocivas ou cruéis de trabalho infantil, não apenas são proibidas como constituem crime. No Brasil, o trabalho é proibido para quem ainda não completou 16 anos, como regra geral. Quando realizado na condição de aprendiz, é permitido a partir de 14 anos.

Segundo a secretária de Assistência Social, Rosângela Néspolo de Andrade, é imprescindível adotar medidas eficazes, ações e políticas públicas voltadas à retirada das crianças e adolescentes que estão em situação de trabalho infantil. “Independente da faixa etária, o direito à educação deve ser garantido prioritariamente. Precisamos entender que o trabalho infantil não traz benefícios, pelo contrário, atrapalha o desenvolvimento de crianças e adolescentes, causando prejuízos à saúde, à educação, ao lazer e à convivência familiar”, ressaltou a secretária.

O prefeito Roberto Bueno, por sua vez, ressaltou que a ‘infância costuma deixar nos adultos doces lembranças: brincar de esconde-esconde, jogo de bola, bolinha de gude e bonecas’. “Da escola, lembramos daquela professora inesquecível e dos amigos inseparáveis. Mais infelizmente isso não acontece com todos, é uma situação que precisa ser mudada. Crianças e adolescentes precisam estudar, brincar, se alimentar dignamente e aprender a assumir responsabilidades ajudando nas tarefas de casa, realizando as lições de escola, aprendendo a ser solidário e principalmente devem ser cuidados para que possam ser crianças e adolescentes mais felizes”, destacou Bueno.

Os responsáveis pelo trabalho em Cândido Mota alertam que se você conhece algum caso ou é uma vítima de trabalho infantil, denuncie. “Você pode fazer a denúncia ao Conselho Tutelar, no (18) 3341-2500, no Creas (18) 3341-1530 ou Disque 100. A ligação é gratuita. O canal encaminha o caso para rede de proteção”, disseram.

 

Pesquisar Google

Google

Área Restrita



Links


  banner esic

 

nota_fiscal_-_icone.jpg

  




Prefeitura Municipal de Cândido Mota - Rua Henrique Vasques, 180 - CEP 19880-000 - Telefone (18) 3341-9350 - Cândido Mota - SP